Afasia Cruzada Após Lesão Hemisférica Direita em Doente Dextro: Uma Entidade Clínica Rara

Daniela Melo Amaral, Ana Rita Almeida, Antonieta Caldeira, Maria José Festas, Fernando Parada

Resumo


A afasia cruzada caracteriza-se por um distúrbio adquirido da linguagem causado por uma lesão hemisférica cerebral direita em dextros, com uma prevalência de 1% - 2%.

Os autores reportam o caso clínico de um homem de 69 anos de idade, dextro, com múltiplos fatores de risco cardiovascular.

Assintomático até 28 de setembro de 2017, altura em que inicia quadro de alteração da linguagem e défice motor esquerdo, motivo pelo qual foi admitido no serviço de urgência onde efetuou estudo imagiológico cerebral que evidenciou lesões isquémicas hemisféricas direitas. Realizou trombólise endovenosa e trombectomia mecânica. Apresentou agravamento neurológico 24 horas após o início do quadro clínico, pelo que repetiu o estudo imagiológico que mostrou lesões isquémicas cortico-subcorticais fronto- temporo-parieto-insular direitas com envolvimento da região caudado-lenticulo-capsular.

Admitido em Unidade de Acidente Vascular Cerebral e, posteriormente, no Serviço de Medicina Física e de Reabilitação. À avaliação inicial, além do défice motor esquerdo apresentava alterações da linguagem compatíveis com afasia global. Foi integrado num programa de reabilitação, com evolução lenta do quadro afásico e motor.

O prognóstico da afasia cruzada relaciona-se com a localização e gravidade da lesão cerebral. Dada a gravidade

da lesão do doente será de esperar uma evolução lenta/estabilização do quadro clínico.


Palavras-chave


Afasia; Dominância Cerebral; Infarte da Artéria Cerebral Média/complicações; Lateralidade Funcional.

Texto Completo:

PDF

Referências


Bramwell B. Crossed aphasia. Lancet. 1899; 153:1473-9. doi: 10.1016/

S0140-6736(01)50703-5.

Coppens P, Hungerford S, Yamaguchi S, Yamadori A. Crossed aphasia: an analysis of the symptoms, their frequency, and a comparison with left- hemisphere aphasia symptomatology. Brain Lang. 2002; 83:425- 63. doi: 10.1016/s0093-934x(02)00510-2.

Rho HJ, Kim YW, Park CI, Park JB, Jang JH. Non fluent crossed aphasia after right middle cerebral artery infarction: a case report. J Korean Acad Rehab Med. 2007; 31:772-5.

Marien P, Paghera B, De Deyn PP, Vignolo LA. Adult crossed aphasia in dextrals revisited. Cortex. 2004; 40: 41-74.

Njemanze PC. Crossed aphasia in a dextral with right hemispheric lesion: a functional transcranial Doppler study. Stroke. 2003; 34: e213-4. doi: 10.1161/01.STR.0000099064.02408.D9.

Kim WJ, Yang EJ, Paik NJ. Neural substrate responsible for crossed aphasia. J Korean Med Sci. 2013; 28:1529-33. doi: 10.3346/jkms. 2013.28.10.1529.

Leal G, Fonseca J, Farrajota L. Recuperação e reabilitação da afasia. Psicologia. 2002;16:157-75.

Demeurisse G, Capon A. Aphasiology language recovery in aphasic stroke patients: clinical, CT and CBF studies. Aphasiology. 2007; 1: 37–41. doi: 10.1080/02687038708248851.

Pedersen PM, Vinter K, Olsen TS. Aphasia after stroke: type, severity and prognosis. The Copenhagen aphasia study. Cerebrovasc Dis. 2004; 17: 35– 43.

Jung IY, Lim JY, Kang EK, Sohn HM, Paik NJ. The factors associated with good responses to speech therapy combined with transcranial direct current stimulation in post-stroke aphasic patients. Ann Rehabil Med. 2011; 35: 460–9. doi: 10.5535/arm.2011.35.4.460

Maas M.B, Michael HL, Ay H, Singhal AB, Greer DM,Smith WS, et al. The prognosis for aphasia in stroke. J Stroke Cerebrovasc Dis. 2012; 21: 350– 7. doi: 10.1016/j.jstrokecerebrovasdis.2010.09.009.

Flowers HL, Skoretz SA, Silver FL, Rochon E, Fang J, Flamand-Roze C, et al. Poststroke aphasia frequency, recovery, and outcomes: a systematic review and meta-analysis. Arch Phys Med Rehabil. 2016; 97:2188-201. doi: 10.1016/j.apmr.2016.03.006.

Medscape.com [homepage na Internet]. Aphasia follow-up [consultado em 2018 28 jan]. Disponível em: https://emedicine.medscape.com article/1135944-followup.




DOI: http://dx.doi.org/10.25759/spmfr.282

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International License.

Revista da Sociedade Portuguesa de Medicina Física e de Reabilitação