Importância de cuidados inter /multidisciplinares em Medicina Física e de Reabilitação nos doentes agudos traqueostomizados. A experiência de um Serviço.

Joana Rodrigues Leal, Rita Marques, Ana Alves, Joana Gomes, Jorge Moreira, Filomena Melo, Fernando Moreira, Catarina Branco

Resumo


Objetivos Cada vez mais doentes com traqueostomia (DTQ) têm alta de Unidades de Cuidados Intensivos antes da descanulação; o melhor modelo de prestação destes cuidados são as equipas inter/multidisciplinares. O presente trabalho faz uma revisão da literatura acerca deste tema e apresenta um estudo numa Unidade de Doentes Agudos (UDA) hospitalar, co-coordenada por Fisiatra.

Materiais e Métodos Estudo observacional retrospetivo da análise da atividade assistencial no internamento em UDA (maio/2011-2013). Recolhida informação dos processos clínicos de 40 DTQ, relativa às variáveis: proveniência, idade, diagnóstico de entrada, patologia médica/cirúrgica, duração de TQ e de internamento hospitalar, percentagem de descanulações, destino após alta. Análise da significância estatística da evolução funcional de toda a amostra e comparativa dos doentes descanulados vs não descanulados. Na revisão da literatura usou-se a base de dados eletrónica MEDLINE. Efetuou-se paralelismo entre os dados da UDA e os da literatura.

Resultados 40 DTQ foram internados na UDA. A idade média dos doentes foi 59.6 anos. Descanularam-se 77.5% dos doentes, 100% com sucesso. O tempo médio de descanulação foi 35 dias e o total de internamento foi 60.9 dias. A diferença de medianas de evolução funcional à data de entrada e alta foi significativa (p<0.001), tendo os doentes descanulados tido uma evolução funcional superior à dos não descanulados (p=0.023). A idade média, os tempos de descanulação e de internamento dos doentes da UDA estão no limite superior do descrito nos artigos, o que se poderá dever a elevados índices de gravidade e mais comorbilidades dos doentes da UDA, assim como prestação de reabilitação intensiva enquanto necessária.

Conclusões A criação de equipas inter/multidisciplinares que prestem cuidados a DTQ é o melhor modelo de prestação destes cuidados. A UDA apresentada representa uma experiência crescente na prestação deste tipo de cuidados. Os doentes descanulados na UDA registaram evolução funcional mais favorável do que os não descanulados. A idade média e tempos de descanulação e de internamento estão no limite superior do descrito nos artigos encontrados, provavelmente por mais comorbilidades, índices de gravidade superiores e prestação de reabilitação intensiva independentemente do tempo de internamento previsto. A UDA poderá ser inovadora evidenciando nova área de atuação da MFR.

 

Palavras-chave:

Traqueostomia, Traqueotomia, Equipa interdisciplinar / multidisciplinar.




DOI: http://dx.doi.org/10.25759/spmfr.193

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International License.

Revista da Sociedade Portuguesa de Medicina Física e de Reabilitação