Reabilitação cardíaca e exercício nas cardiopatias congénitas em idade pediátrica

Mónica Bettencourt Dias, Afonso Rocha, Fernando Parada

Resumo


Actualmente a sobrevida tem aumentado em doentes com cardiopatias congénitas devido aos avanços da medicina. No entanto, a maioria ainda não realiza actividade física regular, não por impedimento devido à sua patologia de base, mas por receios dos próprios, familiares e professores. Além disso programas de reabilitação cardíaca com benefícios bem conhecidos nos adultos, ainda são pouco realizados em crianças e adolescentes, desconhecendo-se a sua metodologia e resultados a nível das capacidades funcionais e estado psicológico destes doentes. Os autores realizaram uma revisão da literatura sobre as evidências actuais dos programas de reabilitação cardíaca em crianças e adolescentes com cardiopatias congénitas e quais as recomendações actuais sobre a prática de exercício físico.

A maioria dos estudos relata os efeitos benéficos de programas de reabilitação cardíaca multidisciplinares, incluindo orientação psicológica e nutricional, na diminuição do número de reinternamentos, melhoria das capacidades funcionais e qualidade de vida destes doentes. Concomitantemente, são inúmeros os artigos que salientam que a prática de exercício físico e participação em desportos de competição na maioria dos casos é possível e segura, desde que seguidas as recomendações necessárias para a patologia em concreto e tendo em conta o doente de forma individual, cabendo ao médico assistente dar todo o aconselhamento necessário em relação a este assunto em particular.


Palavras-chave


cardiopatia congénita, reabilitação cardíaca, exercício



DOI: http://dx.doi.org/10.25759/spmfr.194

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International License.

Revista da Sociedade Portuguesa de Medicina Física e de Reabilitação