Impacto da Pandemia de COVID-19 na Reabilitação Ambulatorial Pós-AVC num Centro de Reabilitação da Área Mediterranica

Autores

  • Adriana Barbosa Pereira Centro de Medicina e Reabilitação Alcoitao
  • João Paulo Castro Serviço de Medicina Física e Reabilitação, Centro Hospitalar Universitário de São João, Porto, Portugal
  • Rui Martins Silva Serviço de Reabilitação de Adultos 3, Centro de Medicina de Reabilitação de Alcoitão, Alcoitão, Portugal
  • João Rocha Neves Serviço de Cirurgia Vascular e Angiologia, Centro Hospitalar Universitário de São João, Porto, Portugal
  • Maria Pais Carvalho Serviço de Reabilitação de Adultos 3, Centro de Medicina de Reabilitação de Alcoitão, Alcoitão, Portugal
  • Jorge Jacinto Serviço de Reabilitação de Adultos 3, Centro de Medicina de Reabilitação de Alcoitão, Alcoitão, Portugal

DOI:

https://doi.org/10.25759/spmfr.435

Palavras-chave:

COVID-19, Inquéritos e Questionários, Reabilitação do Acidente Vascular Cerebral

Resumo

Introdução: O acidente vascular cerebral (AVC) é uma das principais causas de morte e incapacidade adquirida em todo o mundo. A interrupção temporária dos programas de reabilitação em regime de ambulatório devido à pandemia da COVID-19 apresentou impacto negativo nos doentes pós-AVC.

O nosso objetivo foi avaliar o impacto da interrupção de programas de reabilitação em regime de ambulatório nos doentes com AVC e seus cuidadores durante o confinamento.

Material e Métodos: Realizamos um estudo observacional num Centro Europeu de Reabilitação. Selecionamos doentes que suspenderam o tratamento de reabilitação em regime de ambulatório de março a maio de 2020, devido à pandemia de COVID-19. Um questionário telefónico foi aplicado durante junho de 2020 para avaliar a força muscular, espasticidade, dor, nível de independência, ansiedade, depressão, sobrecarga do cuidador, ausência ao trabalho e preocupações financeiras.

Resultados: Noventa cinco doentes foram incluídos no estudo. A idade média foi de 59 ± 13,1 anos e 57 eram do sexo masculino. Durante o confinamento, 94,7% dos participantes não realizaram reabilitação e 83,2% relataram que a pandemia COVID-19 prejudicou sua autonomia. Dos cuidadores, 71,1% relataram níveis mais elevados de sobrecarga de assistência ao doente. Os doentes mais autónomos (FIM≥80) apresentaram maior repercussão na deambulação e subir escadas (p<0,05) enquanto os doentes mais dependentes (FIM<80) apresentaram maior repercussões na alimentação e nas transferências (p <0,05).

Conclusão: A interrupção da reabilitação em regime de ambulatório provou ser prejudicial, tanto para os sobreviventes de AVC como para os seus cuidadores. Este estudo reforça a importância da reabilitação intensiva e acompanhamento individualizado dos doentes com AVC em ambulatório, mesmo após a fase pós-aguda. Novas estratégias, como a telereabilitação, podem prevenir limitações futuras no acesso à reabilitação.

Biografias Autor

Adriana Barbosa Pereira, Centro de Medicina e Reabilitação Alcoitao

Interna de Formação Especifica de MFR  do Serviço de Reabilitação de Adultos 3, Centro de Medicina de Reabilitação de Alcoitão, Alcoitão, Portugal

João Paulo Castro, Serviço de Medicina Física e Reabilitação, Centro Hospitalar Universitário de São João, Porto, Portugal

Assistente hospitalar do Serviço de Medicina Física e Reabilitação, Centro Hospitalar Universitário de São João, Porto, Portugal

Professor Assistente Convidado do Departamento de Biomedicina – Unidade de Anatomia, Faculdade de Medicina da Universidade do Porto, Portugal

João Rocha Neves, Serviço de Cirurgia Vascular e Angiologia, Centro Hospitalar Universitário de São João, Porto, Portugal

Assistente hospitalar do Serviço de Cirurgia Vascular e Angiologia, Centro Hospitalar Universitário de São João, Porto, Portugal

Professor Assistente Convidado do Departamento de Biomedicina – Unidade de Anatomia, Faculdade de Medicina da Universidade do Porto, Portugal

Referências

Stroke Collaborators. Global, regional, and national burden of stroke, 1990–2016: a systematic analysis for the Global Burden of Disease Study 2016. Lancet Neurol 2019. 18: 439–58.

Winstein CJ, Stein J, et al. Guidelines for Adult Stroke Rehabilitation and Recovery. A Guideline for Healthcare Professionals from the American Heart Association/American Stroke Association. Stroke, 2016. 47(6): 98-169.

Buntin MB, Colla CH, Deb P, Sood N, Escarce JJ. Medicare spending and outcomes after postacute care for stroke and hip fracture. Med Care, 2010. 48:776–784.

Stinear CM, Lang CE, et al. Advances and challenges in stroke rehabilitation. Lancet Neurol, 2020. 19(4):348-360.

Jun Z. SARS-CoV-2: an emerging coronavirus that causes a global threat. Int J Biol Sci. 2020. 16:1678-85.

Stephan L, Alexander Z. Coronaviruses and SARS-CoV-2: a brief overview. Anesth Analg. 2020.131:93-6.

Boldrini P, Kiekens C, et al. First impact on services and their preparation. “instant paper from the field” on rehabilitation answers to the Covid-19 emergency. Eur J Phys rehabil Med 2020; 56:000–000.

Chaler J, Gil-fraguas L, et al. Impact of coronavirus disease 2019 (covid-19) outbreak on rehabilitation services and physical medicine and rehabilitation (PM&R) physicians’ activities: perspectives from the spanish experience. Eur J phys rehabil Med 2020; 56:000–000.

Singh R, burn J, sivan M. The impact of covid-19 on rehabilitation services and activities. Letter to the editor in response to official document of simfer. Eur J phys rehabil Med 2020; 56:000–000.

Leocani L, Diserens K, et al. Disability through COVID-19 pandemic: neurorehabilitation cannot wait. Eur J Neurol. 2020 Sep;27(9): e50-e51.

Boldrini P, Garcea M, et al. Living with a disability during the pandemic. "Instant paper from the field" on rehabilitation answers to the COVID-19 emergency. Eur J Phys Rehabil Med. 2020 Jun;56(3):331-334.

Boldrini P, Bernetti A, et al. Impact of COVID-19 outbreak on rehabilitation services and Physical and Rehabilitation Medicine physicians' activities in Italy. An official document of the Italian PRM Society (SIMFER). Eur J Phys Rehabil Med, 2020.56(3):316-318.

Laxe S, Ferri J, et al. Neurorehabilitation in the times of Covid-19: insights from the Spanish Neurorehabilitation Society (SENR). Brain Inj,2020.14;34(12):1691-1692.

Grasselli G, Pesenti A, Cecconi M. Critical Care Utilization for the COVID- 19 Outbreak in Lombardy, Italy: Early Experience and Forecast During an Emergency Response. JAMA, 2020. 28;323(16):1545-1546.

Minghelli B, Soares A, et al. Physiotherapy services in the face of a pandemic. Rev Assoc Med Bras, 2020. 66(4):491-497.

Cramer SC, Dodakian L, et al. Efficacy of Home-Based Telerehabilitation vs In-Clinic Therapy for Adults After Stroke. JAMA Neur, 2019. 76(9): 1079–1087.

Chang MC, Boudier.Revéret M. Usefulness of telerehabilitation for stroke patients during the COVID-19 pandemic. Am J Phys Med Rehabil., 2020. 11: 10.1097.

Tenforde AS, Borgtrom H, et al. Outpatient Physical, Occupational, and Speech Therapy Synchronous Telemedicine: A Survey Study of Patient Satisfaction with Virtual Visits During the COVID-19 Pandemic. Am J Phys Med Rehabil, 2020. 99(11):977-981.

Laver KE, Wakeling ZA, et al. Telerehabilitation services for stroke. Cochrane Database Syst Ver,2020. 31;1(1):CD010255.

Negrini S, Grabljevec K, et al. Up to 2.2 million people experiencing disability suffer collateral damage each day of COVID-19 lockdown in Europe. Eur J Phys Rehabil Med, 2020.56(3):361-365.

Leira EC, Russman A, et al. Preserving stroke care during the COVID-19 pandemic: Potential issues and solutions. Neurology, 2020. 21;95(3):124-133.

Chun MH, Chang MC. The effects of forest therapy on depression and anxiety in patients with chronic stroke. Int J Neurosci, 2017. 127(3):199-203.

Schottke H, Giabbiconi CM. Post-stroke depression and post-stroke anxiety: prevalence and predictors. Int Psychogeriatr,2015. 27(11):1805-12.

Ren H, Liu C, Li J, et al. Self-perceived burden in the young and middle-aged in- patients with stroke: a cross-sectional survey. Rehabil Nurs 2016;41(2):101–11.

Downloads

Ficheiros Adicionais

Publicado

2023-04-05

Como Citar

1.
Pereira AB, Castro JP, Silva RM, Neves JR, Carvalho MP, Jacinto J. Impacto da Pandemia de COVID-19 na Reabilitação Ambulatorial Pós-AVC num Centro de Reabilitação da Área Mediterranica. SPMFR [Internet]. 5 de Abril de 2023 [citado 20 de Junho de 2024];35(1):10-9. Disponível em: https://spmfrjournal.org/index.php/spmfr/article/view/435

Edição

Secção

Artigo original

Artigos Similares

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 > >> 

Também poderá iniciar uma pesquisa avançada de similaridade para este artigo.