Torcicolo Muscular Congénito

Sara Bastos, Joana Almeida, Iolanda Veiros, Mafalda Bártolo, Tiago Ribeira, Renato Nunes

Resumo


Objetivos: Caracterizar a população de crianças observadas por torcicolo muscular congénito na consulta de Reabilitação Pediátrica.

Material e Métodos: Estudo longitudinal retrospetivo com revisão dos processos das crianças com torcicolo muscular congénito seguidas na Consulta de Reabilitação Pediátrica do Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra, entre Janeiro de 2008 e Novembro de 2011.

Resultados: Foram observadas 91 crianças, 67% do sexo masculino, com uma média de idades de 20 semanas. Setenta e dois e nove décimas por cento dos partos foram distócicos, 14 com apresentações fetais anómalas e 61,1% resultaram de mães primíparas. A palpação do músculo esternocleidomastoideu revelou um nódulo em 43,8% das crianças e 63,8% apresentavam limitação das amplitudes articulares cervicais. Foi feito o ensino de medidas posturais a todos os cuidadores e prescrito um programa de reabilitação a 78 crianças. A maioria das crianças apresentou resolução completa do quadro e apenas uma foi submetida a tratamento cirúrgico.

Conclusões: O torcicolo muscular congénito é a causa mais frequente de torcicolo na criança. Na maioria dos casos foi atingido um bom resultado com terapia conservadora.


Palavras-chave


Torcicolo Congénito; Reabilitação; Criança

Texto Completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.25759/spmfr.128

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista da Sociedade Portuguesa de Medicina Física e de Reabilitação