Reabilitação da Artroplastia do Ombro com Prótese Total Invertida: protocolo do Serviço de Medicina Física e de Reabilitação do Centro Hospitalar de Entre Douro e Vouga, E.P.E.

João Amaro, Jorge Moreira, António Miranda, Catarina Aguiar Branco

Resumo


A artroplastia total do ombro com prótese invertida, baseada no modelo inicial de 1985 de Grammont, tem vindo a ganhar uma popularidade crescente. Desenhada inicialmente como uma solução para a artropatia do ombro com rotura extensa da coifa dos rotadores, as suas indicações atuais têm-se alargado à patologia glenoumeral avançada de origem reumática, traumática ou osteonecrótica com rotura irreparável da coifa dos rotadores. A reabilitação destes doentes deve ter em conta as particularidades deste tipo de cirurgia: o desenho dos componentes protésicos, as alterações biomecânicas a que a articulação do ombro fica sujeita e as diferentes técnicas cirúrgicas utilizadas. Dadas as necessidades crescentes de cuidados pós-operatórios para este tipo de artroplastia, o Serviço de Medicina Física e de Reabilitação do Centro Hospitalar de Entre Douro e Vouga (Santa Maria da Feira, Portugal) elaborou um protocolo de reabilitação destinado aos doentes submetidos a esta intervenção, que envolve avaliações funcionais seriadas pré e pós-operatórias e um programa de reabilitação que assenta em três princípios gerais de orientação: a proteção articular, a promoção da função do músculo deltóide e a individualização terapêutica. Os objetivos deste protocolo passam também por manter uma prescrição fisiátrica atualizada de acordo com a avaliação funcional seriada, e por promover a comunicação entre os vários elementos da equipa multidisciplinar envolvidos no processo de reabilitação.

Palavras-chave: Artroplastia Total do Ombro; Prótese Invertida do Ombro; Protocolo de Reabilitação; Reabilitação.


Texto Completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.25759/spmfr.11

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista da Sociedade Portuguesa de Medicina Física e de Reabilitação