Contributo para a Adaptação e Validação da Eat Assessment Tool (EAT-10) e da Functional Oral Intake Scale (FOIS)

Alexandra Queirós, Sónia Moreira, Anabela Silva, Rui Costa, Jorge Lains

Resumo


Introdução: Com o decorrer do envelhecimento da população a prevalência de morbilidade aumenta, aumentando, também, a percentagem de ocorrência de acidentes vasculares cerebrais. Uma das consequências do AVC é a ocorrência de disfagia.

Existem mundialmente várias escalas que permitem avaliar o grau de severidade desta disfunção, embora estas não se encontrem validadas para Portugal. A Eating Assessment Tool (EAT-10) e a Functional Oral Intake Scale (FOIS) são escalas de aplicação rápida e simples, sem ser necessário recorrer a uma avaliação funcional prévia.

Objetivos: O objetivo deste trabalho é contribuir para a tradução e validação das escalas EAT-10 e FOIS para a população portuguesa.

Material e Métodos: A metodologia utilizada implicou três fases: na primeira fase foi efetuada a tradução e adaptação cultural e linguística para a língua portuguesa; na segunda fase foi realizado um pré-teste com o objetivo de verificar a equivalência semântica da EAT-10 e da FOIS, de forma a identificar potenciais problemas para posterior ajuste; na terceira fase foi avaliada a fiabilidade e validade da versão portuguesa da EAT-10 e da FOIS em utentes com disfagia.

Resultados: Os resultados deste trabalho sugerem que a versão portuguesa da EAT-10 apresenta consistência interna (0.75) e concordância entre observadores (0.86) aceitáveis, bem como, validade discriminante. Os resultados indicam ainda que a versão portuguesa da FOIS apresenta aceitável concordância entre observadores (0.78) e validade de critério.

Conclusões: As versões portuguesas da EAT-10 e da FOIS parecem ser válidas e fiáveis em utentes com disfagia causada por acidente vascular cerebral.

Palavras-chave: EAT-10; FOIS; AVC; Disfagia; Questionários. 


Texto Completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.25759/spmfr.108

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista da Sociedade Portuguesa de Medicina Física e de Reabilitação